Blog da Inovação
Assine nossa Newsletter
Selecione para filtrar

Tipos

Categorias

Magnamed: Impulsionada por capital de risco, startup de respiradores ajuda a amenizar crise na saúde

07 Maio

A crise gerada pelo Covid-19 elevou em 2500% a demanda da startup paulista Magnamed (www.magnamed.com.br), especializada em ventilação pulmonar. Umas das investidas do Criatec, fundo de investimentos com recursos do BNDESPAR e do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), a empresa recebeu do Ministério da Saúde um pedido de 6, 5 mil respiradores para serem distribuídos pelas UTIs que estão recebendo pacientes em estado grave.

Para atender à solicitação e fechar o contrato de R$ 322,5 milhões, a Magnamed aumentou sua linha de produção. Segundo o próprio Ministério, a empresa tem contado com o apoio de um grupo de empresas lideradas por Suzano, Klabin, Positivo Tecnologia, Flex e Embraer, apoiadas pela Fiat Chrysler, White Martins, Weg, e pelos bancos BTG Pactual, BV, Itaú, Febraban (Federação Brasileira de Bancos), entre outros.

Robert Binder, fundador da Antera Gestão de Recursos e um dos gestores do Criatec, é um dos responsáveis pelo primeiro aporte recebido pela Magnamed. Em 2008, a startup recebeu R$ 1,5 milhão.

Após duas outras rodadas, os investimentos do Criatec na Magnamed totalizaram R$ 5 milhões e o faturamento da empresa atingiu R$ 40 milhões em 2019. A Vox Capital é outro fundo investidor que aportou R$ 15 milhões na companhia em 2015.

A expectativa agora, segundo Binder, é que o resultado de 2020 seja dez vezes maior que o obtido em 2019 – e isso deve ditar o futuro da empresa. Mas, mais importante que o resultado financeiro é a possibilidade de salvar muitas vidas brasileiras com equipamentos de alta qualidade, fabricados aqui mesmo.

Leia a entrevista:

A Magnamed é uma das investidas pelo Criatec. Como se deu este investimento?

Robert Binder: Em 2007, o BNDES lançou um edital que instituía capital para criar o primeiro grande fundo de capital semente na América Latina: o Criatec. A Antera, que fundei em 2005 após cumprir meu papel como Diretor Executivo da ABVCAP durante 4 anos, se uniu então ao Instituto de Inovação, de Belo Horizonte, e ganhamos o edital. A princípio, devíamos fazer 50 investimentos, por meio de seis escritórios regionais no Brasil.

Com o apoio do Instituto de Inovação, e na base do idealismo, montamos sete bases regionais para o Criatec e fizemos 36 investimentos. Nos dois primeiros anos, foram 24 aportes, e nossos cotistas, BNDES e BNB, decidiram que em vez de 50 novos investimentos iniciais, faríamos apenas 36 e rodadas adicionais para quem estivesse indo bem.

Dentre as empresas que receberam mais de um aporte está a Magnamed. Em 2008, por meio de Francisco Jardim, nosso gestor regional em São Paulo, encontramos esta empresa no CIETEC da USP, tentando entrar para o mercado de ventiladores pulmonares.

Eles tinham apenas um protótipo na época. Em três rodadas, receberam R$ 5 milhões de investimentos do Criatec, além do aporte da Vox em 2015. Criou-se assim uma família inteira de ventiladores ao longo dos últimos 10 anos. Tudo com tecnologia nacional. Um ventilador da Magnamed tem aproximadamente 200 componentes e 85% deles são produzidos hoje no Brasil.

A Magnamed estava preparada para a alta demanda gerada pelo coronavírus?

A empresa já exportava para mais de 40 países e sua produção era de aproximadamente 250 ventiladores por mês. O aumento de pedidos da Itália já havia feito a empresa entender que precisava elevar sua produção.

Quando houve a demanda do Ministério da Saúde, um grupo de empresas se reuniu para fazer acontecer. A Suzano adiantou dinheiro para que a Magnamed pudesse produzir. Sem remuneração nenhuma, juntaram-se a esse esforço outras companhias, como Klabin e Positivo.

Estamos no meio do processo para produzir as 6.500 unidades e, se bem sucedidos, devemos produzir muito mais. A história está para ser contada. Entregamos 600 ventiladores em abril, e a expectativa é que cheguemos à capacidade de 2 mil ventiladores por mês.

Era possível se preparar para uma crise como esta?

Não há previsibilidade para isso. Ninguém estava preparado para a Covid-19. Como investidor, quando você pensa em um investimento, prevê tudo que é possível, mas o imponderável é imponderável.

E como o investidor pode contribuir com o empreendedor além do aporte financeiro,
especialmente num momento como este?

Em capital semente isso é um mantra. O investidor é “mão na massa”, está junto do empreendedor para fazer o que puder para ajudar. É preciso separar os papéis, mas o investidor deve estar lá para ajudar em tudo que o empreendedor está fazendo. No caso da Magnamed, no processo de 6.500 ventiladores, tivemos um membro da nossa equipe, Paulo Tomazela, que trabalhou inteiramente dedicado à empresa para resolver o problema da produção.

Como será o pós-crise para a Magnamed?

O mercado nacional tem uma demanda muito grande e esse pedido de 6.500 ventiladores pode ser ampliado. A recomendação da Organização Mundial da Saúde é que um ventilador não passe de cinco anos em uso e a média do Brasil está bem acima disso, em aproximadamente 17 anos.

Além disso, uma empresa que já exporta para mais de 40 países mostra que é competitiva. A tendência é que o custo unitário caia em função de níveis de produção diferenciados.

Existe também uma trajetória no mercado de capital de risco que indica que novos investidores entrem na empresa e ela deixe de ser investida apenas por fundos de Venture Capital.

Se a Magnamed registrar o faturamento esperado de R$ 400 milhões este ano, pode se tornar altamente interessante para um fundo de Private Equity. Por fim, existe uma outra possibilidade que é fazer um desinvestimento na empresa a partir do mercado acionário, colocando o papel em Bolsa.

Fonte: ABVCAP News – Maio 2020

Assine nossa Newsletter


Indique o blog da inovação

Preencha os campos abaixo e indique este Blog para um amigo

enviando...

Receba a nossa Newsletter

shop giày nữthời trang f5Responsive WordPress Themenha cap 4 nong thongiay cao gotgiay nu 2015mau biet thu deptoc dephouse beautifulgiay the thao nugiay luoi nutạp chí phụ nữhardware resourcesshop giày lườithời trang nam hàn quốcgiày hàn quốcgiày nam 2015shop giày onlineáo sơ mi hàn quốcf5 fashionshop thời trang nam nữdiễn đàn người tiêu dùngdiễn đàn thời tranggiày thể thao nữ hcm